Archive Pages Design$type=blogging

A rodagem do discurso de Salazar

Uma das cenas mais sensíveis do filme “Poesia de Segunda Categoria” é o momento em que Salazar profere o seu discurso na Festa de entrega...


Uma das cenas mais sensíveis do filme “Poesia de Segunda Categoria” é o momento em que Salazar profere o seu discurso na Festa de entrega dos Prémios Literários 1934 atribuídos pelo Secretariado de Propaganda Nacional.  O autoritarismo e a rigidez deste discurso estão visualmente traduzidos na cena através de um enquadramento estático e de um plano contra-picado que são constantes. E a opulência e a monumentalidade do espaço, a forte incidência de diferentes focos de luz, as esfuziantes saudações à romana feitas por uma plateia recheada de pessoas ilustres, dão ao ditador a centralidade da festa e vincam a sua condição de líder.

O seu semblante grave, altivo, mesmo autoritário (particularmente evidenciado no modo fulminante como, só pelo olhar, censura e cerceia alguém cuja tosse o interrompeu), o declarado dirigismo das suas palavras relativamente ao papel dos escritores  (diz que é preciso impor-lhes “limitações” e “directrizes” em nome dos “princípios morais e patrióticos”),  o desdém sobranceiro ante uma actividade literária prolixa e independente (“Virá algum mal ao mundo de se escrever, menos, se se escrever e sobretudo se se ler melhor?” ), o paternalismo irónico e acusador relativamente àqueles que muito produzem e lêem literatura (“Relembro a frase de Séneca: em estantes altas até ao tecto, adornam o aposento do preguiçoso, todos os arrazoados e crónicas”) substanciam uma mensagem clara.

A sua condição algo majestática, afirmativa e auto-confiante afasta-o, assim, neste filme, um pouco do estilo do padre contido com “voz de velha”, tal como muitas vezes foi descrito, aproximando-o, ao invés, dos modelos fascistas italianos e alemães coevos. Este é um Salazar ainda relativamente jovem, triunfante, entusiástico e enérgico para com o alto desígnio de reconstrução nacional cuja liderança ele corporaliza. Ele incarna a imagem do guia e herói da Nação, construída pela moldura da propaganda que António Ferro concebera.

O que nos parece ressaltar das palavras fielmente citadas de Salazar é a manifestação pública de um projecto de dominação do Estado Novo transversal a todos os sectores da sociedade. Estado Novo esse que acabado de ser instaurado e em processo de clara afirmação, procura deliberada e abertamente restringir o grau de autonomia relativa do campo cultural.

Imagem: Foto da rodagem do filme. O actor Paulo João (que interpreta Salazar) rodeado pela equipa de realização e de produção prepara-se para o take seguinte.
Nome

argumentos autor bookcase competição concurso declaracao direitos escrita ficha de inscricao Figueira Film Art materia mente Poesia de segunda categoria
false
ltr
item
Bookcase: A rodagem do discurso de Salazar
A rodagem do discurso de Salazar
http://2.bp.blogspot.com/-NbFwrHiPM14/T5Fd7m_kWNI/AAAAAAAAAMc/FgJeK2U_vDw/s320/IMG_3432.JPG
http://2.bp.blogspot.com/-NbFwrHiPM14/T5Fd7m_kWNI/AAAAAAAAAMc/FgJeK2U_vDw/s72-c/IMG_3432.JPG
Bookcase
http://www.bookcase.pt/2012/04/rodagem-do-discurso-de-salazar.html
http://www.bookcase.pt/
http://www.bookcase.pt/
http://www.bookcase.pt/2012/04/rodagem-do-discurso-de-salazar.html
true
1755842811586539987
UTF-8
Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago