Archive Pages Design$type=blogging

A Arca dentro da Arca: o poder do mistério

‘Ó Fernando, é um crime você continuar ignorado’. [...] ‘Deixem estar, que, quando eu morrer, ficam cá caixotes cheios’”. Cartas...



‘Ó Fernando, é um crime você continuar ignorado’. [...]
‘Deixem estar, que, quando eu morrer, ficam cá caixotes cheios’”.

Cartas de Amor de Fernando Pessoa,
Lisboa, Ática, 1978, pp. 14-15.

Em visita à exposição Fernando Pessoa, Plural como o Universo que esteve patente na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, entre 10 de Fevereiro e 6 de Maio de 2012, confirmou-se a centralidade que a Arca detém na imagética pessoana. Nesse contexto, um conjunto de fotografias tiradas na exposição geraram, entre nós, uma inquietação sobre o papel e o seu estatuto.

 Em concodância com os trâmites legais, só em 2005, ano em que se comemorou os 70 anos da morte do poeta, é que a obra de Fernando Pessoa caiu definitivamente no domínio público. Disso nos deram conta, por exemplo, Steffen Dix e Jerónimo Pizarro, os editores do livro que levou o significativo título “A Arca de Pessoa”, editado em 2007 pela Impressa de Ciências Sociais.

“Neste contexto, a referência  à mítica arca tem um valor duplo: por um lado, lembra os originais ali depositados – hoje conservados na Biblioteca Nacional, a maior dos quais contínua inédita -, e, por outro, serve de convite para que outros investigadores explorem esses escritos agora que qualquer ‘pessoa’ pode publicar ‘Pessoa’”.

Mas avisam-nos Dix e Pizarro: “Ao contrário de muitos escritores, Pessoa é um autor que depois de setenta anos, e talvez ainda por outros setenta, continuará a ser notícia por causa dos seus inéditos, já que estes se contam por milhares.”

A partir destas palavras citadas, poderíamos dizer que o mistério ainda continuará. Actualmente não já devido, arriscamos, à aura ou ao sindroma do “encoberto” estrategicamente montado pelo próprio Pessoa em vida (vide a nossa epígrafe), mas agora em razão do carácter prolixo, fragmentado e disperso da sua obra; o desconhecimento já não é efeito da rarefacção, mas antes de uma excesso que ofusca e esmaga quem o pretende dominar.

O certo é que Pessoa parece ter usado deliberadamente um poderoso dispositivo de sedução. Pois à semelhança da imagem mitigada do Rei morto em Alcácer Quibir que o içou para uma posteridade pairante, o “encoberto” ou a aura de mistério que tolda qualquer coisa independetemente daquilo que seja (pode até ser a figura de um jovem imberbe e louco, cego por ambição desmedida e irresponsável, para lembrar os posicionamentos críticos do republicano racionalista António Sérgio), gera sempre curiosidade, um fascínio, uma vontade irrepremível de desvelar. Numa palavra, o oculto alimenta o desejo.
É curioso notar que depois da Arca aberta esse desejo não ter esmorecido. Antes pelo contrário.

Na imagem: a Arca de Fernando Pessoa, exibida, em 2012, no Museu Guklbenkian, Lisboa. Fotografia de Luís Vaz.
Nome

argumentos autor bookcase competição concurso declaracao direitos escrita ficha de inscricao Figueira Film Art materia mente Poesia de segunda categoria
false
ltr
item
Bookcase: A Arca dentro da Arca: o poder do mistério
A Arca dentro da Arca: o poder do mistério
http://1.bp.blogspot.com/-695-pf2_1_0/T6k2pXSRdjI/AAAAAAAAANg/uRX0VUF8zm0/s320/IMG_4002+co%3fpia.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-695-pf2_1_0/T6k2pXSRdjI/AAAAAAAAANg/uRX0VUF8zm0/s72-c/IMG_4002+co%3fpia.jpg
Bookcase
http://www.bookcase.pt/2012/05/arca-dentro-da-arca-o-poder-do-misterio.html
http://www.bookcase.pt/
http://www.bookcase.pt/
http://www.bookcase.pt/2012/05/arca-dentro-da-arca-o-poder-do-misterio.html
true
1755842811586539987
UTF-8
Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago